Promotores pega-turista nas ruas de Bariloche

Eles estão nas ruas do centro de Bariloche, pela Calle Mitre e suas transversais e até no aeroporto. Saiba porque evitar os promotores pega-turista.

promotores pega-turista na Calle Mitre

Perto de começar a alta temporada e o inverno em Bariloche, eles aparecem pelas ruas e até no aeroporto: os promotores pega-turista. Por isso decidimos escrever este texto, para alertar a todos os turistas brasileiros que vêm a Bariloche: tomem cuidado e fujam destes promotores brasileiros treinados para pegar turistas incautos. Muitos ficam ilegalmente à frente da Galería del Sol, onde se localiza a nossa agência Destino Sul, mas também de outras galerias. Apesar de óbvio, explicamos porque esse tipo de ação oportunista não deve ser incentivada e traz muitos riscos.

A relação com uma agência idônea, correta e honesta acontece desde o Brasil e pelos canais de divulgação e atendimento adequados e profissionais. Mas tem agência que não trabalha direito, muda de nome, não produz conteúdo, não orienta e em cima da hora recorre a esse tipo de tática desesperada: pegar turistas.

Não é possível avaliar uma agência que acabou de conhecer… no meio da rua!

Quando você se deixa levar por estes promotores de rua e no aeroporto, se expõe a riscos de sofrer golpes, de não ser atendido por profissionais (seja na agência, seja durante os passeios ou transportes) e sabe-se lá que outros tipos de situação. Essa atividade de “pega-turista” é o recurso de golpistas ou, na melhor das hipóteses, daqueles que não sabem atender e recepcionar da forma correta e profissional. Deixam o trabalho ao longo de meses com as agências de verdade e apenas aguardam a proximidade da alta temporada para “atacar” os turistas nas ruas e levá-los para sua agência ou escritório.

Não se deixe abordar, muito menos ser conduzido para dentro de uma agência de “pega-turistas”. Você não terá tempo de conhecer, avaliar, pesquisar e perceber a qualidade do atendimento. É tudo feito em cima da hora, com decisões precipitadas, o tipo de situação que favorece aos golpistas. E eles são sempre muito simpáticos, com as melhores ofertas e diferenciais irrecusáveis. Vai nessa… Esse tipo de atividade pode sempre acabar com pessoas enganadas em delegacias ou páginas de jornal (Bariloche é uma cidade provinciana e pacata, esse tipo de golpe vira notícia).

Não incentive a agência turística predatoria

A razão desse nosso alerta a todos vocês é também um empenho em combater este tipo de comercialização duvidosa e baseada em assédio aos turistas, sem preocupação com os próprios “funcionários” que trabalham ilegalmente e passageiros desprevenidos. Estão preocupados apenas em ganhar dinheiro rápido, fácil e de modo inconsequente. É agenciamento turístico predatório e desqualificado. Desrespeito à profissão, aos turistas, aos cidadãos e à própria cidade de Bariloche. O que esperar do respeito às normas e regras de segurança, meio ambiente e direitos do consumidor e trabalhistas de quem age assim no turismo?

Cidade, agências e prestadores bem preparados para receber turistas

Vale esclarecer, no entanto, que este tipo de agência e atividade nociva é exceção. A grande maioria das agências de Bariloche prestam um excelente serviço. E isso você pode perceber já no Brasil, sendo bem atendido, orientado, conhecendo a qualidade da agência, dos profissionais e das informações que eles lhe fornecem. Um agente de turismo não é um mero vendedor, um atravessador. Ele deve orientar, esclarecer, informar e buscar o melhor para os seus passageiros. Isso é agenciar um turista de verdade.

Bariloche é uma cidade turística extremamente bem preparada para receber com altíssimo nível a todos vocês. Temos leis, regras, práticas de excelência que garantem qualidade, segurança e a melhor experiência possível. Por isso, às vezes somos vistos como “chatos” por cumprir tudo que nos é solicitado com o máximo de afinco possível.

Lembre-se. A sua agência, a que vai atender a sua família, marido, esposa, filhos, amigos etc você escolhe ainda no Brasil, pesquisando, sendo bem atendido, orientado, se informando bem. Não abra mão disso! Agência não se encontra no meio da rua, assim como turistas não devem ser abordados e assediados no meio da rua.

“And in the end… the love you take is equal to the love you make…”

E por que não concluir com Beatles? Passada a alta temporada, a agência que pratica esta tática predatória não estará mais nas ruas nem no aeroporto. Trabalhadores sem registro deverão procurar outro “bico”, pois o trabalho de agarrar o máximo de incautos possíveis acabou. Acabou o “turismo” para estas pessoas.

Mas nós continuaremos. No fim do inverno, na primavera, no verão, no outono e de volta ao próximo inverno, sempre orientando vocês, produzindo conteúdo de qualidade para todos os brasileiros, clientes nossos ou não. No Bariloche para Brasileiros ou na Destino Sul, são todos nossos leitores e temos compromisso com todos vocês, com nossos companheiros de profissão, com a grande maioria das agências que faz o seu trabalho com competência e principalmente com a cidade de Bariloche e seus arredores.

Leia: A importância das agências de turismo em Bariloche

Por isso, contamos com a colaboração e o respeito de todos vocês, brasileiros que vêm a Bariloche, para não se sujeitarem e não incentivarem este tipo de ação irresponsável. Um turismo responsável e sustentável depende de todos nós. Aqui em Bariloche, no Brasil, em qualquer lugar do mundo.

Avatar

Autor: Alejandro Sainz

Alejandro é irmão da Sabrina e sócio-diretor do Bariloche para Brasileiros. Músico e publicitário brasileiro e argentino, nasceu em Buenos Aires, mas cresceu e vive no Rio de Janeiro. Ficou tão deslumbrado quando conheceu a Patagonia e Bariloche, que compôs uma música chamada “Patagonia” com sua banda de rock, que virou disco e videoclip realizado apenas com filmagens da região. Seu lugar preferido é a estepe patagônica. Também é louco pelas cervejas artesanais, chocolates e tudo que é “ahumado” (defumado) da região: comida, cerveja, molhos etc.

Deixe uma resposta