Para os amantes da cerveja, Bariloche é o paraíso!


O mercado da cerveja artesanal vem crescendo cada vez mais no Brasil, mas em Bariloche este setor já vem de longas datas, são mais de 100 anos de tradição. Cada vez mais pequenos fabricantes entram no mercado, já que na cidade constantemente são dados cursos de capacitação para a elaboração da cerveja artesanal. Sem falar que a matéria-prima encontrada na região é de primeira qualidade.

 As opções de cervejarias espalhadas pela cidade são enormes. No centro, por exemplo, existe um setor chamado de “Barrio Cervecero”, onde se encontram concentrados os principais “pubs”. Alguns deles são: Manush, Antares, Ruta 40, Vikingos, Konna, Santino, Bachmann, Wesley, Lowther. Saindo do centro, na Av. Bustillo, se encontram a chilena Kunstmann, La Cruz e Blest e Berlina, estas duas últimas são as maiores fábricas de cerveja artesanal de Bariloche. As minhas preferidas são a Manush (no centro, rua Neumeyer 20) e Blest (Av. Bustillo 11.600) que tem uma lojinha bem legal para comprar souvenirs. Quando forem a Blest, provem a cerveja de frambuesa e para acompanhar, uma completa tábua de frios. Em novembro, Bariloche realiza a festa da cerveja, conhecida como “Beer Art Bariloche”e a 130Km da cidade, está a localidade de “El Bolsón” (um lindo lugar para conhecer), onde em janeiro ou fevereiro se realiza a Festa Nacional do Lúpulo e também tem fábricas de cerveja artesanal.

Manush, Centro de Bariloche

 

 

“Paseo de las Picadas”, é um circuito no centro de Bariloche onde estão concentradas grandes cervejarias, lançado neste verão. Nos fins de semana fecham algumas algumas ruas, onde colocam mesinhas do lado de fora, fazem shows e onde tem uma feira de artesanatos.


Quando vierem a Bariloche, não deixem de degustar as maravilhosas cervejas da região!

Autor: Sabrina Poinho

Sabrina, autora e fundadora do Bariloche para Brasileiros, é barilochense e carioca de coração, mas mineira de nascimento. Se formou em Bariloche como guia regional da Patagônia, se tornando a primeira brasileira a ter este título. É louca com a gastronomia de Bariloche e só sendo louca por vôlei também para tentar manter a forma com tanta comida boa no friozinho patagônico. Está casada e mora em Bariloche há mais de 10 anos por culpa de um argentino que é físico atômico e irradiou o seu coração...

2 pensamentos

Deixe uma resposta