O curanto na Colonia Suiza em Bariloche

Saiba neste post do blog o que é o curanto, uma comida milenária originária dos povos indígenas da Patagônia que perdurou no tempo e foi se adaptando pela influência do homem branco. É uma das atrações da gastronomia de Bariloche, encontrada na Colonia Suiza.

Aproveitando que no próximo fim de semana o) irá acontecer  Festa Nacional do Curanto em Bariloche, vou aproveitar para falar um pouco desta comida típica  da região. Curanto é uma palavra indígena de origem mapuche (como muitas outras que escutamos em Bariloche, já irei comentar sobre algumas) que quer dizer cura (pedra) e antu (sol) e quando juntas querem dizer pedras quentes. Mas que comida tão diferente é esta?

Podemos dizer que o curanto é realmente uma das comidas mais típicas de Bariloche, já que teve sua origem nos povos araucanos que habitavam a Ilha de Chiloé e foi trazida por uma das primeiras famílias pioneiras (sobrenome Goye) que chegaram a Bariloche vindas do Chile, mais especificamente chegaram ao setor onde se encontra a Colonia Suiza.

 

Esta comida nas suas origens era feita com mariscos, pescados e algumas carnes, ao contrário de hoje, que se faz com vários tipos de carne (cordeiro, vaca,porco), frango e vegetais. O mais interessante deste prato ancestral é sua preparação que requer um grande ritual por ser cozinhado debaixo da terra. Primeiro são colocadas algumas pedras para srem esquentadas em uma fogueira e depois, cavam um grande buraco onde no fundo serão colocadas estas mesmas pedras que já estão quentes. Por cima das pedras são colocadas folhas de árvores típicas da região (nalca ou maqui) e depois são colocados todos os ingredientes que serão cozinhados: cenoura, batatas, cebola, maçãs, batata-doce, abóboras recheadas com queijo e milho, carnes variadas, linguiças e frango. Depois de distribuir os ingredientes são colocadas mais folhas e por cima um pano úmido cobrindo bem toda a comida e em seguida, se tapa tudo com bastante terra. O tempo de cozimento é de aproximadamente uma hora e quinze minutos (um indicador de que está pronto é quando começa a sair fumacinhas vindas debaixo da terra).

 

Após este tempo de preparação, começa todo o ritual de descobrir todo o que foi colocado, muito interessante de se ver. O sabor que fica nos ingredientes é uma delicia, fica um gostinho defumado que diferencia o curanto de tudo que você já comeu antes.
 Existem  três lugares que servem curanto na Colonia Suiza, mas o principal e mais organizado é o do Vitor Goye (um dos descendentes da família pioneira que chegou nesta zona), onde além do curanto e todo seu ritual, é apresentado um show de folclore com um cantor muito carismático da zona.

 

Entre na página:  http://curantocoloniasuiza.com/ ,onde poderão fazer reservas, ver fotos, vídeos e saber mais informações sobre o curanto e a Colonia Suiza .

Existe uma linha de ônibus que  vai a Colonia Suiza é o número 10 da empresa “Mi Bus”. Demora a passar, por isto é importante olhar bem os horários, entre na página da Mi Bus para saber mais: http://www.mibus.com.ar/bariloche/

 Comer curanto na Colonia Suiza é em minha opinião um passeio imperdível que se pode fazer durante todo o ano, nas quartas e nos domingos.

 

Autor: Sabrina Poinho

Sabrina, autora e fundadora do Bariloche para Brasileiros, é barilochense e carioca de coração, mas mineira de nascimento. Se formou em Bariloche como guia regional da Patagônia, se tornando a primeira brasileira a ter este título. É louca com a gastronomia de Bariloche e só sendo louca por vôlei também para tentar manter a forma com tanta comida boa no friozinho patagônico. Está casada e mora em Bariloche há mais de 10 anos por culpa de um argentino que é físico atômico e irradiou o seu coração...

Deixe uma resposta