Ski nórdico e ski alpino em Bariloche, qual é a diferença?

Muitas pessoas vêm a Bariloche sonhando com o momento de poder esquiar nas montanhas da cidade, a maioria por primeira vez.  Por isto é importante saber que podem optar por duas categorias de ski, o nórdico ou o alpino.

Ski nórdico

Existem diferenças importantes na hora de fazer esta atividade por primeira vez, vou falar um pouco de cada uma. O ski alpino, que começou a ser praticado nos Alpes (por isto tem este nome) tem como objetivo descer a montanha com a maior velocidade possível (claro que isto é a nível profissional). Nos centros de Ski, como o Cerro Catedral em Bariloche, existem vários meios de elevação (teleféricos) que partem da base até pontos mais altos da montanha. Os esquiadores devem comprar um passe que dá direito ao uso destes teleféricos, desta maneira vão subindo por este meio até a parte mais alta da pista que escolhem, para depois, descer esquiando. Mas não se assuste, os centros de ski têm pistas para principiantes com poucas pendentes, onde geralmente as pessoas que estão aprendendo fazem aula. Muitas vezes as aulas para iniciantes são feitas na base do Cerro Catedral, quando este setor tem acumulada certa quantidade de neve.

O ski nórdico ou de travessia surgiu em alguns países do norte da Europa com o objetivo de se deslocar de um lugar para o outro quando havia muita neve. Isto quer dizer que quando se pratica o ski nórdico a pessoa não só desce, mas também sobe, caminha e patina (não tem meios de elevação). Agora podemos comentar outra diferença importante na hora de escolher a categoria: O equipamento.

O equipamento para esquiar inclui botas, esquies e bastões (roupa de neve, luvas, óculos para esquiar e capacete a pessoa já tem que conseguir a parte e já ir preparada para atividade). A bota do ski alpino é dura e fica totalmente encaixada nas fixações dos esquies, juntamente para manter a estabilidade do esquiador nas descidas.  O tamanho dos esquies dependem da altura da pessoa, os atendentes das lojas de aluguel de equipamento já te olham e sabem qual serve para você. Totalmente diferente é a bota do ski nórdico, que mais parece um tênis de cano alto para fazer trekking, é muito mais confortável e só se encaixa a ponta do pé nas fixações dos esquies. Isto permite uma maior liberdade de movimento já que o calcanhar fica solto. Os esquies possuem como “escamas” embaixo, o que ajuda nas subidas.

 

Equipamento de ski alpino

 

Ski nórdico (notem com o calcanhar vai solto)
Ski nórdico 

Pela minha experiência com os turistas brasileiros que vem fazer ski por primeira vez, vejo que muitos sofrem ao colocar por primeira vez as botas de ski alpino, a ponto de não conseguirem caminhar direito. Todo o trajeto que a pessoa faz com as botas no pé e ainda por cima carregando os esquies, desde a loja de equipamento até o teleférico ou o lugar da aula, para muitos se torna um suplicio e já querem tirar o equipamento. Não quero desanimá-los com isto, mas é algo importante a se ter em conta já que esquiar não é uma atividade barata.  Também depende muito do perfil de cada um. Quando a pessoa é um marinheiro de primeira viagem, eu recomendo começar pelo ski nórdico para ter um primeiro contato com a atividade.

Em Bariloche a prática de ski nórdico se faz  no Centro deSki Nórdico, no Cerro Otto. O ski alpino é praticado em Bariloche no Cerro Catedral e no Winter Park (somente para principiantes). Saindo da cidade (a quase 90 km de distância) está o Cerro Bayo que pertence a Villa LaAngostura, onde é possível também praticar o ski alpino.

Vejo que muitas pessoas querem esquiar no Cerro Catedral por ser o maior centro de ski da América Latina e pela sua fama, realmente é um lugar lindo de se conhecer fazendo a  atividade ou não, mas antes de comprar algum pacote no Brasil com aula de ski incluída, pense antes no fator clima (vai ter neve para fazer a atividade quando eu chegar na cidade?) e se realmente é o seu perfil. Não se sinta obrigado a esquiar porque vem a Bariloche, existem muitas coisas interessantes para fazer. Longe de mim falar mal desta atividade, ao contrário, é muito prazerosa quando se consegue realmente começar a praticá-la e deslizar pela neve, mas para quem faz uma aula só e não pratica mais, talvez não consiga chegar a desfrutar de esquiar.  De qualquer forma, é uma experiência vivida e quem sabe você tem jeito para a coisa, nunca se sabe. 😉

Até a próxima!

 

Autor: Sabrina Poinho

Sabrina, autora e fundadora do Bariloche para Brasileiros, é barilochense e carioca de coração, mas mineira de nascimento. Se formou em Bariloche como guia regional da Patagônia, se tornando a primeira brasileira a ter este título. É louca com a gastronomia de Bariloche e só sendo louca por vôlei também para tentar manter a forma com tanta comida boa no friozinho patagônico. Está casada e mora em Bariloche há mais de 10 anos por culpa de um argentino que é físico atômico e irradiou o seu coração...

10 pensamentos

  1. Sabrina, estou planejando uma viagem para Bariloche no período de 07 a 15 de junho/2014. Meus fillhos tem muita vontade de conhecer a neve, mas não fazemos questão de esquiar. Sei que nessa época as pistas de esqui provavelmente não estarão abertas, mas vc acha que haverá pelo menos um pouco de neve nos cerros para as crianças brincarem?

  2. Olá, Luciana!

    É a primeira vez que você vem a Bariloche? Vem com um pacote ou de maneira independente?

    Fica tranquila, é provável que na data que você venha já tenha caído algo de neve já que a partir do mês de junho as nevadas começam a cair com mais frequência. Para quem só quer ver é menos complicado, mas geralmente tem que subir em alguma montanha onde a neve se acumula com mais facilidade, na cidade é muito difícil que isto aconteça. Mas insisto, não é possível garantir com precisão sobre a neve, depende da natureza e das mudanças que ela vem sofrendo.
    Em Bariloche, existem excursões tradicionais para o Cerro Catedral para quem não vai esquiar e só quer conhecer ou brincar na neve. No Catedral, por mais que as pistas para esquiadores não estejam abertas, é possível comprar um ticket na base para subir mais ainda a montanha através de teleféricos. Quanto mais alto se sobe, maior a quantidade de neve acumulada. Pelos pontos mais altos desta montanha existem confeitarias e mirantes. Agora mesmo no verão as pessoas podem ir ao Cerro Catedral, comprar um ticket e subir o teleférico, mas é claro, a montanha está sem neve, por isto se pode ver o bosque e as pistas de ski se usam como trilhas para caminhar pela montanha, em junho é diferente. Outra opção é ir conhecer o Cerro Bayo, na Villa La Angostura, que está mais próxima ao oeste e onde é mais fácil acumular neve. Neste lugar tem que subir um teleférico e chegar até o setor principal onde se concentram as atividades, onde está um restaurante e também é possível alugar trenozinhos para fazer ski bunda.

    Quando vocês chegarem a Bariloche vão ter que saber sobre as condições das montanhas, a previsão do tempo para a semana na qual estarão e desta maneira programar os passeios, posso ajudar com isto. Se você quiser, quando chegar a Bariloche ou um pouco antes, marcamos um encontro na agencia na qual trabalho e aí organizamos tudo. Qualquer dúvida, agente vai mantendo contato por aqui ou se você preferir escreve para o meu email: sabrinapoinho@gmail.com

    Beijos!

  3. Olá Sabrina.

    Tudo bem?

    Eu e meu namorado vai para Bariloche em agosto do ano que vem. Gostaria de saber como é o funcionamento dos cerros e se você tem acesso as tarifas. Infelizmente não achei muito coisa na internet.

    Sabe me informar qual a melhor moeda para levar para os cerros (se é real (convertido) ou dólar)?

    Obrigada!!!

  4. Olá! Eu tenho uma dúvida, será que vocês conseguem me ajudar?
    Eu vou com meu marido para Bariloche e a dúvida é a seguinte: Nós vamos chegar nos Cerros com mochila, com sapatos e ao alugar equipamentos de esqui, por exemplo, onde ficam os meus sapatos (que eu vim calçada)? Tem algum lugar onde eu possa guardar meus pertences de forma segura? Um aluguel de armário, algo assim? Ou eu terei que carregar tudo que eu trouxe durante os passeios?
    Muito obrigada desde já!

  5. Boa noite Jessica.

    As botas “pré-ski” ficam guardadas nas lojas de equipamento, onde também poderá alugar um locker para deixar as suas coisas.

    Bjs

  6. Muito obrigada! Eu tenho mais uma dúvida: No Cerro Catedral, quem não vai esquiar pode comprar o passe de esqui e usar todos os teleféricos da montanha ou é obrigado a usar só o peaton?
    Muito obrigada 🙂

  7. Olá Jessica,

    Quem nao tem os skis postos nao pode usar certos teleféricos, da onde se desce já esquiando. Ninguem compra um passe de esquiador para nao esquiar, primeiro por que é caro e segundo, nao haveria tempo para usar os mais de 30 meios de elevação da montanha. O que faz o público pedestre seria comprar o passe “peaton”, que pode ser para subir o cable carril, amancay ou princesa.

    Beijos

  8. Eu vou esquiar no ski nórdico.. minha dúvida é a seguinte: quanto tempo levo pra conhecer o cerro catedral se for só pra passear? eu já li vários comentários falando que tem que passar o dia lá para aproveitar tudo.. mas e se for só pra conhecer? será que é o dia todo também?
    Obg

    1. Olá Jessica! No tour regular de 4 horas o tempo de permanência na montanha é de 2:30 aproximadamente. Geralmente compensa passar o dia todo no Cerro catedral quem pretende aprender a esquiar e praticar essa atividade. Pessoalmente na agência Destino Sul poderemos te orientar melhor.

      Esperamos por você na Destino Sul, na Galeria del Sol em Bariloche!

Deixe uma resposta