Morar em Bariloche vale a pena?

Dicas sobre trabalho, moradia, sociedade, preços de imóveis para aluguel e compra, contatos de imobiliárias de Bariloche e a minha experiência como brasileira que mora aqui há 13 anos.

A Catedral no centro de Bariloche

Vale a pena morar em Bariloche? É claro que esta é uma pergunta que terá uma resposta diferente para cada pessoa após viver a experiência. Aproveito então para contar um pouco da minha.

Bariloche é uma cidade que mexe muito com a imaginação dos brasileiros. Seja sonhando em conhecê-la ou seja impactado pelo sonho realizado da viagem, muitos acabam pensando em morar ou ao menos passar uma boa temporada em Bariloche.

Um lugar tranquilo, dentro de um Parque Nacional, com paisagens lindas e quatro estações bem definidas: primavera de degelo e florida, um verão com clima delicioso (sem aquele calorão abafado), um outono lindo de tons alaranjados e o inverno com neve e todos os seus atrativos.

Beira do lago Nahuel Huapi, no Centro de Bariloche.

Bariloche se encontra na Patagônia, região de grande interesse turístico por sua natureza e geografia e que foi considerada pelo Conicet a melhor região para se viver na Argentina, sendo Bariloche uma das melhores cidades.

Bariloche é uma cidade pequena, com menos de 200 mil habitantes, mas com uma estrutura turística e gastronômica muito bem desenvolvidas e organizadas. Mas morar e fazer turismo são coisas completamente diferentes.

A principal razão da minha vinda a Bariloche não foi a cidade, mas um motivo pessoal, já que o meu marido morava aqui quando o conheci no Rio de Janeiro . Já se passaram quase 13 anos e aqui estamos juntos…

Prós e Contras de se morar em Bariloche

Eu gosto de morar aqui, mas isso não significa que seria bom para todo mundo. Vamos ver alguns pontos a favor e em contra de morar em Bariloche:

👍A favor: paisagem esplêndida; cidade relativamente tranquila; cada estação tem o seu encanto; permite certa qualidade de vida e muito contato com a natureza; ótimo sistema de saúde e de educação; aeroporto internacional; tem várias atividades na neve e de aventura; não tem trânsito caótico; não é superpopulosa; é a tendência do momento desacelerar e buscar a natureza.

👎Em contra: mercado de trabalho complicado e atividades econômicas limitadas; comércio pequeno em geral; transporte público com deficiências; poucas opções de espaços culturais; especulação imobiliária nas zonas centrais por conta do forte turismo.

Aspectos relativos

Violência

Sobre a violência, a cidade não é perfeita e tem as suas coisinhas, mas não se compara à realidade de uma cidade grande, muito menos de uma metrópole. Bariloche era muito tranquila e as pessoas deixavam até a porta de casa destrancada. Hoje já não se pode mais amarrar o cão com linguiça. Por outro lado, sempre me senti em segurança ao caminhar sozinha à noite numa rua vazia do centro, muito diferente do que seria no centro do Rio, São Paulo ou Buenos Aires. Se você vem de uma cidade grande, vai achar Bariloche muito segura e os cuidados que você já tem numa cidade grande serão mais que suficientes para te proteger em Bariloche. Só não dê mole pensando que está em um lugar com 0% de problemas ou criminalidade. Se você vem de uma cidade pequena ou similar a Bariloche, onde os carros costumam parar para você atravessar a rua, não vai notar muita diferença. Mas lembre-se que nas altas temporadas, o movimento é muito maior e a cidade fica cheia de turistas e trabalhadores de outras cidades.

Custo de vida

Bariloche é uma cidade turística e tem preços de cidade turística, principalmente nas regiões centrais ou de grande interesse turístico. Claro, nos bairros mais afastados e onde os preços são predominantemente para os residentes, é tudo bem mais em conta. No entanto, esse “preço de cidade turística” é bem relativo e mais percebido pelos argentinos. Um brasileiro indo morar em Bariloche, tendo sua reserva ou fonte de renda do Brasil em reais, vai achar a cidade mais barata que qualquer capital brasileira. Mas se você começar a trabalhar em Bariloche, recebendo em pesos, o preço de cidade turística vai fazer sentido…

Quando tem neve em Bariloche
Morando em Barioche, certamente ao longo do ano você verá a cidade assim em algum momento…

E a neve?

Morando em Bariloche, acabou o drama da neve. Você vai ver a cidade toda branquinha várias vezes, vai ver nevar inúmeras vezes e depois que você estiver íntimo da neve, provavelmente sua estação favorita será o verão e as mais bonitas a primavera ou o outono. Tem dias que você pode até reclamar da neve. É legal para o lazer e ruim quando acumula muito na cidade, porque pode complicar muito a rotina, fechando estradas ou até com a falta luz. Mas é raro que aconteça.

Morar em Bariloche pode ser muito indicado para quem…

Busca mais sossego, desacelerar e está mais interessado em aproveitar a natureza do que as atrações urbanas de uma grande cidade, como museus, cinemas, centros culturais, concertos musicais, shoppings e ter tudo fácil e à mão.

Bariloche tem tudo isso, de cinema e teatro a Shopping e shows musicais. Tem até delivery de comida muito variado e bom (que se desenvolveu por conta da pandemia), mas não tem Uber e similares. Tudo isso numa escala muito menor e com muito pouca variedade para quem está acostumado a uma grande metrópole.

Também é bom ter um perfil emocional e social mais autônomo, que consiga estar bem sozinho, sem depender tanto de convivência, já que Bariloche é uma cidade pequena, mais reservada e os vínculos sociais demoram mais a se construir.

Por outro lado, é bom ter um perfil não dependente dos outros, mas desbravador, aberto aos outros, a participar, a se relacionar. Faça ioga ou tai chi chuan como a minha mãe e se relacione com professores e alunos, logo te convidarão para fazer uma trilha com a turma ou um almoço. Saia para dançar tango e coisas do tipo. Ter autonomia e se sentir bem consigo mesmo sem depender dos outros, não é se fechar para o mundo. Estar aberto a construir vínculos e conhecer pessoas ajuda muito mais em Bariloche. Apenas tenha paciência.

Em termos econômicos, o ideal é você já ter algo profissionalmente em vista ou reservas financeiras para se manter. A cidade é extremamente dependente do turismo, então, se você pretende arranjar um emprego ou trabalho na cidade, as chances são muito maiores no turismo. Tem que saber também que no turismo aparecem muitos empregos de caráter temporário, durante 3 de alta temporada. E tem outra pegadinha: se você está a procura de sossego e vai trabalhar no turismo na alta temporada, saiba que a última coisa que você vai experienciar é… sossego.

Além do turismo, Bariloche se destaca por ser um centro de desenvolvimento científico e tecnológico a nível mundial, já que abriga algumas das instituições científicas de maior prestígio na Argentina, como o Centro Atômico, o Instituto Balseiro e o INVAP. Então, se você é um cientista, pode tentar um intercâmbio, quem sabe?

O mais comum seria arranjar um trabalho na alta temporada de inverno por 3 meses e depois, com o que ganhou, se bancar por mais tempo na cidade. Isso depende do perfil ou situação de cada um. Tem gente que vem, trabalha em um hostel em troca de moradia e tem gente que pode vir com outras fontes de renta e/ou uma boa reserva para se manter e tentar se estabelecer em definitivo. Hoje em dia, como muitos trabalham 100% em home-office, não importa se você está em Berlim , Belo Horizonte ou Bariloche.

Foto @maverick_drone

Morar em Bariloche pode não ser indicado para quem…

Tem o estilo de vida muito urbano e é apegado a tudo que uma metrópole oferece. Se você é do tipo que vive aproveitando à noite para sair e dançar, ver espetáculos, curtir festivais de cinema alternativo, socializar em bares com aquele jeito muito mais aberto e receptivo do brasileiro, principalmente do carioca (de onde eu vim), Bariloche poderia ser uma mudança brusca demais. Não é que não exista isso, mas se esse é o seu estilo de vida, isso não vai ser o novo estilo da sua vida em Bariloche. Mas pode ser muito bom se a sua ideia é passar uma temporada e fazer um “detox” do lifestyle urbanóide demais.

Também pode ser difícil também para quem já tem um grupo social fundamental em sua cidade e seria muito sofrido abrir mão disso num lugar em que as novas relações serão construídas do zero.

Financeiramente, não é muito indicado para quem não construiu uma reserva financeira, pois emrpegos são muito incertos e geralmente temporários e no turismo. Mas se você é do tipo que se vira nos trintas, lava prato em hostel em troca de moradia e comida, isso pode não ser um problema para você.

Onde morar em Bariloche?

É claro que o centro de Bariloche é a região mais desejada e os valores são muito mais altos. Principalmente a região conhecida como microcentro, onde está o Centro Cívico, a Catedral, a vista privilegiada do lago Nahuel Huapi, a Calle Mitre (artéria principal da cidade), a Mamuschka, a Destino Sul!, risos, e todo seu comércio e gastronomia. Aí está a maior parte também das ofertas de trabalho, cultural, gastronômica, comercial, educativa.

Outros bairros e regiões muito procurados são: Melipal, as ladeiras do Cerro Otto (com linda vista para o lago), Circuito Chico, imóveis nas avenidas Bustillo ou Pioneros ou, num caráter mais de luxo, bairros fechados como o condomínio Arelauquen. Pesquise bem estas localidades e conheça as alternativas menos óbvias que podem te agradar.

Não é Trancoso nem Jeri, mas as praias de lago de Bariloche são muito bonitas e dá até para pegar um bronze no verão.

Os residentes costumam preferir morar em bairros a poucos quilometros da cidade, rodeados de mais natureza. Mas, claro, outros preferem viver no centro e ter uma rotina mais urbana.

Se você quiser morar em um local um pouco mais afastado do centro e fora da zona urbana, dirigir e ter carro pode ser muito importante. Há lugares afastados que tem vários comércios essenciais. Eu morei nos ditos “Quilômetros”, na Avenida Bustillo, a 8km do centro de Bariloche, à beira do lago Nahuel Huapi (passando um “matinho” pra descer), mas bem do outro lado da rodovia tinha um excelente mercado, padaria, farmácia, quiosco (tipo posto de conveniência) e outras pequenas lojinhas. Mas você pode morar numa região dos “Quilômetros” ou de outro lugar onde não há comércio algum.

De um modo geral, terrenos planos a beira de lagos são sempre muito buscados. Muitos moradores têm optado por comprar um terreno em regiões que têm se valorizado, como à beira de lagos como o Moreno e construído suas casas, o que sai mais em conta do que comprar uma já construída, com a vantagem de ser do jeito que você quiser/puder e nova em folha.

Claro, para muitos convém fugir dos preços altos da especulação e Bariloche não é só zona turística, beira de lago e suas proximidades. Existem bairros de classe média na cidade, no centro, próximo ao centro e até um pouco mais afastado fora da zona turística, com preços mais baixos tanto dos imóveis como do custo de vida em geral. Mas aí é preciso conhecer muito bem a região.

É difícil alugar?

Provavelmente sim. Sendo estrangeiro, sem residir em Bariloche, sem ter fiador com imóvel em Bariloche, alugar pode ser bem mais complicado. Sim, costumam pedir tudo isso, como no Brasil, e ainda a comprovação de renda.

Normalmente os preços para compra e para aluguel por temporada estão sempre em dólares. Mas se a sua ideia é alugar para residir em Bariloche, a modalidade é chamada de alquiler permamente, ou aluguel permanente, que é o similar ao nosso contrato de aluguel de 30 meses.

No entanto, os contratos podem ser bem mais curtos e é preciso tomar cuidado com isso, principalmente se o imóvel está em área turística. Há locatários oferecendo imóveis na modalidade “permanente” com contratos tão curtos quanto 3 ou 6 meses. Muito provavelmente a ideia do proprietário é alugar na modalidade “permanente” apenas nas baixas temporadas (com preços em pesos, mas você pagando condomínio e as contas) para ter o imóvel livre para alugar em dólar por temporada para turistas. Ou seja, se você está querendo ficar por um ano ou mais, pode ter problemas com um contrato tão curto e o proprietário pedir o imóvel de volta.

O aluguel permanente de um apartamento quarto e sala no centro de Bariloche está na faixa de 50 a 60 mil pesos. Isso dá de uns 1.600 a 2.000 reais. Os condomínios costumam ser bem mais baixos. Um condomínio em Copacabana chega fácil em 1.000 reais. Em Bariloche, pode custar de 200 a 300 reais.

E os preços para comprar um imóvel em Bariloche?

Os preços para venda de imóveis são sempre em dólares. Aqui vão alguns exemplos de pesquisa que fizemos em agosto de 2021:

Monoambiente (conjugado) de 22m2 com vista para o Centro Cívico e o Lago Nahuel Huapi, segurança 24h, extremamente cobiçado por turistas. USD 73.000

Apartamento no microcentro, o ponto mais privilegiado, a 3 quadras do Centro Cívico, 52m2, 2 quartos, 1 banheiro. Valor: USD 95.000

Casa no bairro Pinar de Festa, com 3 quartos e 2 banheiros e uma propriedade de 793m2 no total. Na altura do km 7 e a 200m da rodovia. Valor USD 205.000

Linda casa no bairro Playa Bonita, com área coberta de 144 m2 e lote de 935 m2, 4 quartos, 3 banheiros, na altura do km 8. Valor USD 270.000

Melhores bairros de Bariloche

Menciono a seguir diversos bairros de Bariloche onde se tem uma boa qualidade de vida, para auxiliar nas buscas. Vale reforçar que tudo depende também do imóvel e do seu perfil. O que é excelente para alguém pode não se conveniente ou do seu agrado. Busque sempre um corretor qualificado e credenciado para lhe orientar. Se um corretor é importante para alugar ou comprar um imóvel na sua cidade, imagina em outro país em um lugar completamente diferente da sua realidade?

Detalhe do centro de Bariloche.

Bairros centrais e que se estendem ao longo da costa do Lago Nahuel Huapi, coincidindo com áreas de alto valor imobiliário: Centro, Belgrano, Los Maitenes, Los Cipresales, Las Chacras, Costa del Sol, Las Victorias, Condor, Condor I, Jardín Botánico, Las Margaritas, Las Vertientes, Melipal, El Prado – Carihue, Rayen Mapu, Pinar del Lago, La Cascada, Ladera Norte – Parque el Faldeo – Cerro Otto, Pinar de Festa, Piren Huapi – Playa Bonita – San Ignacio del Cerro – Parque Moreno, La Gaviota, Casa de Piedra, Nahuel Malal, 3 Lagos, Don Orione.

Centro de Bariloche e à esquerda os “Quilômetros”.

Existem ainda regiões que são como vilas ou colônias. Podemos citar o Villa Catedral, que está na base do Cerro Catedral e totalmente voltado para as atividades da estação de ski e da montanha; a Colonia Suiza, que é um lugar de baixíssima densidade populacional e com um estilo de vida muito mais rural que urbano; o Centro Atômico Bariloche e a Escola Militar de Montanha que incluem as residências de funcionários públicos, cientistas e militares.

Parte do centro e os “Quilômetros” até acesso ao Cerro Catedral.

Dicas para procurar imóvel ou terreno em Bariloche

É muito importante, se a sua opção é comprar um imóvel ou terreno (e depois construir a casa), conhecer muito bem a região, os bairros, o comércio local (ou ausência dele!), a facilidade de transporte, energia, internet, telefonia etc. Por isso antes de fechar qualquer negócio, é muito importante viajar a Bariloche antes com o objetivo de se familiarizar com o mercado imobiliário e conhecer bem os aspectos de cada região para escolher a localização com muita segurança sobre todas as suas necessidades.

Outra dica valiosa para quem está no Brasil é que já pode iniciar sua pesquisa entrando em contato com imobiliárias locais. Hoje em dia é possível conseguir ser atendido por vídeochamada e até mesmo visitar imóveis ao vivo com o corretor em Bariloche ou por gravações.

Já estabelecer uma relação de confiança com uma imobiliária e corretor pode ser de muita ajuda, até por conta do idioma. Pode encontrar um corretor que fale português ou que se vire muito bem no portunhol.

Para dar o pontapé inicial no seu planejamento de morar em Bariloche, além de todas as dicas que já demos aqui, finalizamos com vários contatos do Instagram de algumas imobiliárias de Bariloche e região. Importante: não estamos indicando nenhuma delas. Assim como no caso de uma agência de viagens, é importante você conhecer e criar o vínculo com o profissional e a empresa que melhor se adequarem ao seu perfil e necessidades.

Portanto, caso você tenha dúvidas e deseje mais informações sobre como alugar ou comprar um imóvel em Bariloche, não nos procure (não somos da área!), mas sim um corretor entre os diversos contatos de imobiliárias que passamos a seguir:

Para alugar e comprar: https://www.zonaprop.com.ar/casas-departamentos-alquiler-san-carlos-de-bariloche-map.html

Avatar

Autor: Sabrina Poinho

Sabrina, autora e fundadora do Bariloche para Brasileiros, é barilochense e carioca de coração, mas mineira de nascimento. Se formou em Bariloche como guia regional da Patagônia, se tornando a primeira brasileira a ter este título. É louca com a gastronomia de Bariloche e só sendo louca por vôlei também para tentar manter a forma com tanta comida boa no friozinho patagônico. Está casada e mora em Bariloche há mais de 10 anos por culpa de um argentino que é físico atômico e irradiou o seu coração...

Nenhum pensamento

Deixe uma resposta