Até quando é possível esquiar em Bariloche?

 Mesmo quando termina a temporada de inverno, Bariloche ainda recebe alguns turistas brasileiros que preferem viajar em baixa temporada.  No final de setembro ainda tem um pouco de neve nos cumes de algumas montanhas. Ainda é possível esquiar?

Muitas atividades de neve já não funcionam no final de setembro. Para que quem opte por viajar nesta época, que não tenha tanta expectativa em ver muita neve, afinal, o inverno já terminou, como no Brasil. Não significa que não seja possível desfrutar de outras coisas, principalmente as espetaculares paisagens da região.
Bariloche não é só neve, isso é algo que eu sempre tento divulgar aos meus conterrâneos. Quando chega a primavera já notamos as flores que começam a aparecer cada vez mais nas árvores de Bariloche, uma belezura!
Obviamente que tudo tem a ver com o que cada pessoa busca na viagem, se o seu foco é exclusivamente a neve e fazer atividades na mesma, como  esquiar e ski bunda, recomendo que você venha entre a segunda semana de julho e agosto para não correr riscos de pegar pouca neve, apesar de ser mais caro.

 

Cerro Catedral, dia 19/08/2016 (Foto: Catedral Alta Patagonia)
Mudando um pouco de assunto, vamos ao que interessa para aquelas pessoas que chegarão por agora no final de setembro e ainda pretendem esquiar. A empresa que administra o Cerro Catedral divulgou dias atrás que a temporada de ski estará acontecendo até o dia 3 de outubro, podendo ser alterada de acordo às condições climáticas. O Cerro Bayo (que está em Villa La Angostura) permanecerá aberto para o ski até o dia 25 de setembro.
 
Foto: Emprotur (Cerro Catedral em setembro)
 
Mas o que é possível fazer na primavera em Bariloche?  Muitas coisas, pode ter certeza! É possível fazer todos os passeios tradicionais que são realizados durante todo o ano: Circuito Chico com subida ao Cerro Campanario (onde tem mirantes e confeitaria), Confeitaria giratória do Cerro Otto, tour de meio dia ao Cerro Catedral, para subir o teleférico desde a base para chegar ao cume da montanha, onde tem mirantes e restaurantes. Também é possível fazer as navegações à Ilha Victoria e Bosque de Arrayanes e a Puerto Blest e Cascata Los Cantaros, ir ao Vulcão Tronador onde está a geleira negra (Ventisquero Negro) e ir a San Martin de Los Andes pela rota dos 7 lagos (passeio terrestre). Também é possível fazer atividades como cavalgada, andar de veleiro, trilhas e tirolesa (canopy).  Um pouco mais adiante se iniciará a temporada de rafting e pesca.
 
Foto: Emprotur (trecho do circuito chico)
 
Os passeios de inverno noturnos com veículos que andam na neve já encerraram a temporada (La Cueva, Arelauquen, Noche Nordica). Como proposta noturna e mais cultural, que pode ser feita também durante todo o ano, recomendo o jantar com musica ao vivo no Refugio Berghof (localizado a 1200 metros de altura), que em baixa temporada acontecerá somente de uma a duas vezes na semana. Se você gosta de realizar atividades mais autênticas e diferentes, não deixem de conhecer este  lugar emblemático de Bariloche.
 
 
 
Aqui no blog é possível encontrar os valores atuais e resumos dos principais passeios, para ver é só clicar aqui.
 
Se você não é um fanático da neve e ama conhecer um lugar rodeado de paisagens espetaculares, não tenha dúvida em vir a Bariloche na primavera e também no verão, a cidade é encantadora durante todo o ano!
 
 
 
Esperamos por vocês em Bariloche durante todo o ano!

Autor: Sabrina Poinho

Sabrina, autora e fundadora do Bariloche para Brasileiros, é barilochense e carioca de coração, mas mineira de nascimento. Se formou em Bariloche como guia regional da Patagônia, se tornando a primeira brasileira a ter este título. É louca com a gastronomia de Bariloche e só sendo louca por vôlei também para tentar manter a forma com tanta comida boa no friozinho patagônico. Está casada e mora em Bariloche há mais de 10 anos por culpa de um argentino que é físico atômico e irradiou o seu coração...

Deixe uma resposta