Bariloche no verão: guia completo de turismo

Descubra porque o verão é alta temporada em Bariloche que os brasileiros ainda não descobriram

Guia de Verão em Bariloche
Hotel Llao Llao no verão. Foto: Maverick Drone.

Resumo

Quando: de 21 de dezembro a 21 de março

Alta temporada: de final de dezembro a fevereiro.

Características: preços mais baixos, clima maravilhoso, verão sem calorão, dias bem mais longos que a noite, estação com maior variedade de atividades (mais ainda que no inverno), segunda alta temporada, melhor época para atividades ao ar livre, melhor época para aproveitar a natureza, praias de lago, piqueniques no bosque etc.

Eventos e datas: Natal, Ano Novo, Carnaval, Pinta Bariloche (festa da cerveja artesanal) e muitos outros.

Sumário

Porque viajar a Bariloche no verão

Ao pensarmos em férias de verão, talvez as primeiras coisas que venham à nossa mente sejam o clima tropical e belas praias. E isso é o que não falta no Brasil. Mas já pensou em passar o verão em Bariloche? Um verão fora do convencional, em um lugar diferente, com paisagens belíssimas e, ainda assim, com a “vibe” do verão e das férias? 

Verão em Bariloche. Lago Guillelmo.
Lago Guillelmo. Foto: Naturaleza Sur.

Para muitos brasileiros, viajar a Bariloche em pleno verão pode não fazer o menor sentido, mas isso é mais fruto de desconhecimento sobre o destino. O verão é uma segunda alta temporada em Bariloche, recebendo muitos argentinos, latinoamericanos, europeus, norteamericanos e israelenses. O auge desta alta temporada acontece em do final de dezembro a fevereiro.

Punto Panorámico no verão.
Punto Panorámico no verão.

A Patagônia, região onde se encontra Bariloche, é um destino que virou uma grande tendência. Atrai pessoas do mundo inteiro que não estão atrás de neve e estações de ski (que eles têm de sobra no hemisfério norte) e, sim, da natureza única, das paisagens incríveis e da gastronomia. E isso tudo é muito mais bem explorado e vivido no verão.

Valle Encantado.
Valle Encantado. Foto: Maverick Drone.

Claro, para os brasileiros, Bariloche é o centro invernal mais conveniente e com melhor estrutura e não há nada parecido no Brasil. Mas ainda precisamos descobrir porque os encantos da Patagônia trazem europeus e norteamericanos à Bariloche de tão longe para curtir o… verão!

Calle Mitre no verão em Bariloche.
Calle Mitre no verão em Bariloche.

Com este guia, você vai conhecer tudo que precisa para planejar sua viagem a Bariloche nesta época e com todas as dicas essenciais. Vamos lá!

Centro de Bariloche no verão.
Centro de Bariloche, em pleno verão. Foto: Anna Manoela.

Excelente estrutura em meio à natureza patagônica

Bariloche é uma cidade pequena, menos de 200 mil habitantes, mas com excelente estrutura. Está localizada em um ponto estratégico para se conhecer a Patagônia. A região reúne como nenhuma outra a maior diversidade de paisagens típicas da imensidão patagônica. A Cordilheira dos Andes, a estepe, os bosques andinos, os lagos glaciais, vales de formações vulcânicas etc. E ainda uma área urbana com gastronomia de altíssimo nível no meio de toda essa natureza. Literalmente: Bariloche fica dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi.

Anoitece em Bariloche no verão.
Anoitecer em Bariloche no verão, já depois das 21h. Foto: Naturaleza Sur.

Clima fantástico e dias lindos e longos

Nesta época, Bariloche fica com um dos melhores climas do mundo. Bem longe do calorão abafado no Brasil que pode passar fácil dos 40°C. Toda a diversidade da região pode ser muito mais bem explorada. Os dias são longos (amanhacendo lá pelas 6h e só anoitecendo quase às 22h e costumam ser lindos! Tem gente nas praias de lago até depois das 21h e os bares, pubs, restaurantes e chocolaterias são de altíssimo nível. E, mesmo no verão, sempre tem aquele friozinho gostoso para passar a noite melhor ainda.

Skate Park no centro de Bariloche
Skate Park no centro de Bariloche.

Uma viagem nova, original e bem mais barata que no inverno

Hoje em dia, com tantos viajantes buscando destinos diferentes, novas histórias para contar e experiências para se viver, vale a pena pensar fora do lugar comum e fora das altíssimas temporadas. E pagar muito mais barato!

Orla de Bariloche em um lindo dia de verão.
Orla de Bariloche em um lindo dia de verão.

Bariloche tem as 4 estações bem definidas. Quem conheceu a cidade na alta temporada de inverno, terá outra experiência e outros passeios no verão. É uma nova viagem.

Capital Nacional do Turismo de Aventura

Dentre seus vários “títulos”, Bariloche também é a Capital Nacional do Turismo de Aventura. E o verão com seus dias mais longos é a estação ideal para aproveitar todas as “aventuras” que Bariloche tem para oferecer.

Bariloche, a Capital Nacional do Turismo de Aventura
Bariloche, a Capital Nacional do Turismo de Aventura. Foto: Bruno Grande.

Não por acaso, no verão há muito mais atividades para se fazer do que no inverno. E algumas destas atividades feitas no inverno, também acontecem no verão, só que são muito mais agradáveis. Por exemplo, visitar cervejarias artesanais ao ar livre, fazer trilhas ou navegações de lago.

Por outro lado, se você não gosta de adrenalina, não tem problema. O turismo contemplativo, exploratório e gastronômico também são pontos altíssimos do verão. Dias lindos e longos, com mais tempo de sol, são perfeitos para explorar, passear ou simplesmente escolher um lugar agradável para fazer um picnic, relaxar e não fazer mais nada além de apreciar o momento e a vida.

Bariloche no verão em imagens

A seguir um mural com fotos de verão de alguns dos nossos fotógrafos preferidos de Bariloche, que captam tão bem o espírito da região.

Como é o clima em Bariloche no verão

O verão é considerado tecnicamente em relação ao clima a melhor época para se turistar em Bariloche. Isso porque no final de dezembro, janeiro e fevereiro, a temperatura média de dia é de cerca de 25°C. Há pouca chance de chuva e de nebulosidade para atrapalhar passeios e atividades e os dias são bem mais longos que a noite.

Verão na Patagônia.
Surpresas do verão na Patagônia. Foto: Bruno Grande.

Só anoitece depois das 21h. Dá pra aproveitar bastante, inclusive as belas praias de lago! De noite esfria mais, claro. E sempre pode acontecer uma surpresinha com uma frente fria que derruba as temperaturas. Mas, no geral, o clima é muito agradável, de vez em quando ameno e raramente frio ou quente.

Vejamos mês a mês do verão como é o clima com base numa média histórica.

Final de dezembro

As temperaturas máximas costumam ficar entre 18°C e 20°C e raramente ultrapassam os 27°C. As mínimas costumam ficar entre 6°C a 7°C, e raramente caem abaixo de 1°C. O sol nasce pouco depois das 6h e se põe quase 22h!

Janeiro

As temperaturas máximas costumam ficar entre 21°C e 22°C, raramente  ultrapassam 28 °C. As temperaturas mínimas diárias ficam por volta de 8°C, raramente caindo abaixo de 3°C.

Fevereiro

As temperaturas máximas ficam entre 21°C e 22°C, raramente ultrapassando 28°C. As temperaturas mínimas ficam em média entre 7°C e 8°C, raramente caindo abaixo de 2°C.

Março

O verão vai até 20 de março. Neste mês, com a proximidade do outono, as temperaturas máximas caem em 5 °C, ficando entre 16°C a 20°C. No entanto, raramente a máxima fica abaixo de 11°C ou ultrapassa os 27°C. Já as temperaturas mínimas costumam ficar entre 4°C e 7°C, raramente caindo abaixo de -1°C.

Tem neve em Bariloche no verão?

Certamente o verão não é época para ver neve em Bariloche. Você pode saber quando é a melhor época para ver neve em Bariloche também aqui no blog. No verão, as montanhas não estão mais cobertas de branco, nem mesmo no topo. São raros os lugares, como o topo do Cerro Tronador e o Ventisquero Negro, onde há geleiras permanentes. É raríssimo nevar no verão, mas pode acontecer.

Cerro Tronador no verão.
Cerro Tronador, mesmo no verão, ainda exibe suas geleiras eternas. Foto: Jeremias Thomas.

O que fazer em Bariloche no verão

Villa La Angostura no verão.
Villa La Angostura no verão. Foto: Gus Arias.

Passeios clássicos

Quase todos os passeios tradicionais que são feitos no inverno, podem ser feitos no verão e ficam ainda melhores! Principalmente as excursões mais paisagísticas, como Circuito ChicoVulcão TronadorSan Martín de Los Andes pela Rota dos 7 Lagos, Navegação a Isla Victoria e Bosque de Arrayanes, Navegação Puerto Blest e Cascata de Los CántarosEl Bolsón e Lago PueloConfeitaria Giratória do Cerro Otto.

Valle Encantado, Circuito Grande.
Valle Encantado, umas das passagens do Circuito Grande no verão. Foto: Maverick Drone.

O Circuito Grande é outro passeio imperdível (que não é feito no inverno) e uma ótima opção para conhecer Villa La Angostura. El Bolsón e Lago Puelo também é um passeio ideal para fazer no verão. Até mesmo o emblemático Cerro Catedral pode ser conhecido nesta época, mesmo não funcionando como estação de ski. 

Rafting em Bariloche.
Rafting é uma das inúmeras opções para curtir no verão.

Atividades

É possível fazer cavalgadas, rafting de diferentes categorias, caiaque, tirolesas (zip line e canopy), trekking aos refúgios de montanha, caminhadas pelo bosque, andar de veleiro, stand up rafting e paddle, mountain bike, parapente, pesca esportiva, escalada, mergulho.

Laguna Negra. Trilha em Bariloche
Laguna Negra. Um dos destinos das dezenas de trilhas de Bariloche. Foto: Jazmín David.

Trilhas: a experiência da natureza ainda mais próxima

O verão é também a estação das trilhas. Seus dias mais longos oferecem muito mais horas de sol e clima agradável para completar as trilhas e ter um contato ainda mais próximo e íntimo com a natureza.

Bariloche tem dezenas de trilhas com todos os níveis de dificuldades. Muitas delas são de baixa dificuldade, como a Trilha do Lago Escondido y Bahía los Trocos, com 1,8 km de distância e apenas 42 metros de desnível.

Veja a grande variedade de trilhas fáceis nos arredores de Bariloche (distância/desnível):

  • Trilha ao Cerro Llao Llao (4km/229m)
  • Trilha ao Puente Romano y Bahía Tacul (3,4km/91m)
  • Trilha Arrayanes (3km/35m)
  • Trilha Lago Escondido y Bahía los Trocos: distância:1,8km / desnível: 42m
  • Trilha do Cerro Campanario (1km/240m)
  • Trilha a Pedra de Habsburgo no Cerro Otto (3,5km/84m)
  • Cabeceira Sul Lago Gutierrez (5,1km/85m)
  • Seccional Lago Gutiérrez – Playa Muñoz (5,6km/170m)
  • Seccional Lago Gutiérrez – Mirador del Lago (1,4km/178m)
Lago Roca em Bariloche.
Lago Roca em Bariloche. Foto: Anna Manoela.

Para quem quer mais desafios, o verão é ainda melhor. Para os mais aventureiros, desbravadores e bem preparados fisicamente, não faltam trilhas de dificuldade mediana, alta e muito alta, algumas com 2 dias de duração e pernoite em refúgios, até viagens de 4 ou 5 dias.

Claro, para que se aproveite melhor, sempre recomendamos que qualquer trilha seja feita com um guia de montanha profissional. Para as trilhas mais difíceis, esse profissional é indispensável e até mandatório. Também pode ser necessário fazer o registro da trilha na Administração de Parques Nacionais. O registro é gratuito.

Para conhecer a grande diversidade de trilhas de Bariloche e todos os detalhes importantes, confira o site do Bariloche Trekking.

Pampa Linda e Refúgio Agostino Rocca. Foto: Bariloche Trekking.

Cavalgadas

Outra forma de contato bem próximo com a natureza é montado em um cavalo. Imagina você, com um lindo poncho, gaucho ou amazona, cavalgando pela estepe e comendo um “asado” tradicional ao fim? Já fizemos um post aqui sobre a Cavalgada La Fragua.

Cavalgada La Fragua
Cavalgada La Fragua pela estepe.

Outra excelente opção é a cavalgada Los Baqueanos. O lugar é um complexo de beleza única, à beira do lago Gutiérrez. Além da atração principal que são as cavalgadas, Los Baqueanos ainda oferece outras atividades como kayak e mountain bike.

Nas cavalgadas, você vai descobrir lugares únicos com cachoeiras, rios, bosques, lagos e montanhas. Tudo orientado por um guia especializado, observando os detalhes da flora e da fauna do lugar.

Los Baqueanos
Cavalgada Los Baqueanos.

Há cavalgadas curtas (cerca de 1h), pensadas para famílias com crianças, até cavalgadas de meio dia ou dia completo. A cavalgada de meio dia dura cerca de 2 horas e inclui café da manhã e almoço ou almoço e lanche, conforme seja feita na parte da manhã ou da tarde.

Praias em Bariloche

Bariloche tem diversas praias de lago de belezas singulares. No verão, esta é uma das atrações mais procuradas. É possível sempre encontrar uma praia ao seu estilo. Para curtir com a família, para badalar e curtir música, para estar solitário em silêncio, a dois num clima romântico, praias próximas ou mais afastadas.

Playa Bonita em Bariloche
Playa Bonita. Foto: Diario de Río Negro.

E pra você que acha que praia em Bariloche não tem graça, imagina uma praia com águas mais transparentes que as do Caribe, num lago cristalino e até espelhado. Imagine aproveitar a praia num clima agradável, sem calorão, mesmo com céu azul e sem nuvens. E o cenário? Um lindo lago, montanhas, bosques… E nem vai sair cheio de areia, pois as praias são de pedrinhas!

Praias de Bariloche
Mapa das praias de Bariloche.

Adoramos as praias tradicionais, principalmente as do Brasil. Mas curtir uma praia tão diferente e bonita é também uma experiência que quem gosta de praia não pode deixar de fazer em Bariloche.

Lago Nahuel Huapi
Uau! Onde fica isso? No Caribe? Não, em Bariloche! Foto: @santigmagaldi.

Onde comer em Bariloche no verão

Uma das coisas mais deliciosas no verão de Bariloche são as atrações gastronômicas ao ar livre. Food trucks, bares e pubs colocando suas mesas em ruas fechadas, praias de lago e bosques perfeitos para piqueniques, restaurantes e cervejarias artesanais com áreas externas agradabilíssimas, casas de chá rodeadas de natureza… Tudo isso e muito mais acompanhado de gente alegre, atrações musicais e eventos, tudo ao ar livre.

Food truck na orla de Bariloche
Sabrina e Sergio aproveitando os food trucks na orla de Bariloche no verão.

É claro que Bariloche ainda tem o Boliche del Alberto, as chocolaterias, a alta gastronomia e muito mais. Só que neste guia de verão, vamos priorizar as atrações que mais combinam com a estação e principalmente ao ar livre. Vem comigo!

Food truck em Bariloche no verão

Food trucks

Uma das típicas atrações de Bariloche no verão são os food trucks. Sanduíches de truta, de cordeiro patagônico, tacos, pratos vegetarianos, veganos, hamburgers artesanais com vegetais da horta local, frutas finas colhidas no dia, sorvetes, cervejas artesanais… A lista é longa e criativa!

Paseo del Lago - food trucks em Bariloche - verão
Food trucks no Paseo del Lago, em Bariloche, no verão. Fonte: Interpatagonia.

Eles estão localizados principalmente na avenidade Costanera, no centro, às magens do lago Nahuel Huapi. Mas também são encontrados ao longo do Circuito Chico, no cruzamento do km 8 e na praça do km 13. Também estão no caminho para trilhas de montanha, como a que segue para a Laguna Negra. É possível encontrar food truck até mesmo no acesso da “ruta” para El Bolsón.

La Cabrona, food truck de Bariloche.
Food truck La Cabrona. Fonte: Vision Gourmet.

Em Bariloche, os food trucks são todos regulamentados. São cerca de 40 food trucks ativos no verão, mas os carros habilitados chegam ao redor de 100. Isso porque alguns só abrem para eventos específicos.

Sr. Mezcal, food truck de Bariloche
Food truck Sr. Mezcal. Fonte: Revista Aire.

Como Bariloche é uma das poucas cidades do país que tem um marco regulatório para venda de rua, há uma garantia de qualidade dos produtos que são vendidos e é exigido dos donos que trabalhem com materiais biodegradáveis.

food truck Jauja, de sorvete artesanal.
Food truck da sorveteria artesanal Jauja. Foto: Cadena 3.

Vista linda para o lago e comida de food truck ao ar livre: o que mais se precisa para ser feliz?

Restaurantes com boas áreas externas

Nem só de fast food se vive ao ar livre. Bariloche tem muitos restaurantes, casas de chá e cervejarias com áreas externas para se apreciar boa gastronomia e natureza. Nossa primeira recomendação é o El Mallín Restaurant, do chef Gonzalo Gaviña, que fica nos “kilometros”, como se diz aqui, ou seja, na Av. Bustillo.

Mas se você quer uma opção mais cêntrica, o Maleza é outra excelente pedida. Fica bem no centro e, melhor ainda, à beira do lago Nahuel Huapi. É um restaurante especializado em cerveja e café, olha que demais! Perfeito para fazer um belo brunch à beira do lago.

Piquenique de verão

Se a boa do verão é comer ao ar livre, então o piquenique não pode faltar! Bariloche no verão parece que foi pensada para o piquenique perfeito: lugares lindos e tranquilos, natureza, clima perfeito, belas paisagens e opções deliciosas de lanchinhos para comprar e levar (take away).

Picnic da Sabrina à beira do Nahuel Huapi no centro de Bariloche.

Imagina parar numa praia de lago, colada a um bosque e a visão de montanhas no horizonte. Estenda sua toalha no chão e fique aí horas, relaxando, ouvindo e admirando a natureza enquanto faz um delicioso piquenique.

Onde fazer seu piquenique

O centro de Bariloche é cheio de lugares excelentes para um piquenique. Toda o litoral do lago tem mini prainhas além de duas praias principais: a que fica perto do letreiro e a praia Centenário. Outras praias para curtir o seu piquenique são Playa Bonita, Playa Melipal, Lago Gutiérrez e Bahía López. Villa tacul, no parque municipal bosque Llao Llao, também é uma excelente opção.

Onde comprar e levar as comidinhas para o seu piquenique

O piquenique pode ser um chá das 5, um café da manhã, um brunch, uma “picada” (tábua de frios) com um bom vinho ou cervejas artesanais.

Em Bariloche, as casas de chá, patisseries, confeitarias e delicatessens oferecem boxes perfeitos para levar e fazer seu piquenique. Recomendamos muito os sanduíches de miga do La Casita de Mani, os boxes de patisserie da Benita ou da Mamushcka, empanadas da Punto Empanadas ou picadas da La Quesería.

Sorveterias

Os sorvetes artesanais em Bariloche são maravilhosos e muito consumidos inclusive no inverno. No verão, nem se fala! A grande variedade de sabores e a qualidade são incomparáveis.

Sorveteria da Mamuschka.
Sorveteria da Mamuschka.

Além dos sabores clássicos, como o doce de leite e suas variedades (o preferido de turistas e residentes), vale a pena experimentar os sabores de frutas típicas, como os de frambuesa, frutas do bosque, boysenberry (cruzamento entre frambuesa e amora), sauco, blueberry ou mirtilo (conhecido aqui como arandano) etc.

Sorveteria da Rapa Nui.

As sorveterias estão concentradas no centro e também são lojas de chocolate artesanal: Rapa Nui, Mamuschka (tem a sorveteria separada da chocolataria), Jauja, Tante Frida, Del Turista e Abuela Goye.

Cervejarias artesanais

Um dos melhores lugares para se comer e beber ao ar livre são as cervejarias artesanais. Blest, Berlina, La Cruz, Kunstmann, são muitas opções.

Destaque especial para as cervejarias Patagonia, Wesley e Gilbert, cada uma com sua personalidade, que você pode conhecer no tour Bariloche Beer Experience, com acesso VIP para conhecer as fábricas.

Bariloche Beer Experience

Uma das experiências gastronômicas que não pode faltar no verão é o tour cervejeiro artesanal Bariloche Beer Experience.

Conheça 3 fábricas de cerveja artesanal, cada uma com sua personalidade e localizadas no Circuito Chico. Um tour para apreciar e celebrar o verão e a natureza com as melhores cervejas de Bariloche e lindas paisagens.

Eventos especiais e datas comemorativas no verão

Natal, Réveillon, Carnaval, Festa da cerveja artesanal (na Sociedad Rural), Festa das Frutas Finas (el Hoyo), Festa do Curanto da Colonia Suiza, Festa Nacional do Lúpulo em El Bolsón.

O que fazer nas festas de fim de ano?

O Natal e o Ano Novo são bem animados em Bariloche. No entanto, no Réveillon não há queima de fogos. Em Bariloche é proibido, por assustar os animais silvestres e a cidade estar localizada dentro de um Parque Nacional.

O Natal em Bariloche sempre conta com uma agenda de atrações e muito atrativa para as crianças. Não falta árvore gigante e iluminação especial de Natal na cidade, principalmente no Centro Cívico. E, claro, o Papai Noel sempre aparece para fazer a alegria das crianças.

Na noite de Natal ou de Ano Novo, alguns hotéis e restaurantes da cidade oferecem jantares especiais. Alguns lugares que fazem isso: Hotel Llao Llao, Alma del Lago, Villa Huinid, Panamericano, El Patacón, Familia Weiss, Design Suites e Plaza Uno. Não deixe de perguntar se o hotel onde você estará hospedado fará algum evento. 

Carnaval em Bariloche

E para quem pensa que em Bariloche não tem Carnaval, se engana!

Shows ao vivo, desfiles e animação se espalham pelas ruas da cidade no Carnaval. Além disso, outras festas e eventos locais escolhem o Carnaval como data para acontecer. É o caso da Pinta Bariloche, a Festa da Cerveja Artesanal, que acontece no fim de semana do Carnaval.

Pinta Bariloche – Festa da Cerveja Artesanal

Pinta Bariloche é a festa da cerveja artesanal que acontece no fim de semana do Carnaval, na Sociedad Rural, em Bariloche. Reune toda a indústria artesanal cervejeira de Bariloche, que é muito criativa e de altíssimo nível.

Pinta Bariloche - Feira de Cerveja Artesanal
Pinta Bariloche. Fonte: El Cordillerano.

Não só por seus mestres cervejeiros, mas também pelas condições climáticas na cidade e seus arredores, que são perfeitas para a produção: qualidade da água, tipo de solo, clima e até o lúpulo cultivado no El Bolsón e no Alto Valle, na província de Río Negro.

Pinta Bariloche - Festa da Cerveja Artesanal
Pinta Bariloche. Fonte: Vision Gourmet.

A Pinta Bariloche tem como objetivo mostrar para toda a comunidade e turistas todo potencial e qualidade da produção local. Para isso, conta com uma variedade de food trucks de bebidas e comidas, além de atividades para as crianças, palestras e treinamentos temáticos.

Pinta Bariloche - Festa da Cerveja Artesanal
Pinta Bariloche: o paraíso da cerveja artesanal. Fonte: Vision Gourmet.

Festa Nacional do Curanto na Colonia Suiza

Na Coloniza Suiza, na segunda quinzena de favereiro, esta festa celebra o curanto, um prato de origem indígena, cujas origens remontam aos índios araucanos e até mesmo aos polinésios. No chile, o curanto é feito com mariscos, mas, em Bariloche, pra variar, os argentinos o adaptaram para comer com carne e hortaliças. E é simplesmente delicioso e muito original!

Festa do Curanto na Colonia Suiza
O curanto desenterrado após a cerimônia. Foto: Juan Carlos Montiel. El Cordillerano.

O curanto é preparado em uma cerimônia ancestral. Em um buraco cavado na terra são colocadas pedras “bochas” aquecidas diretamente numa fogueira. Sobre as pedras quentes e posto um colchão de folhas aromáticas e sobre elas todos os ingredientes: carne de vaca, cordeiro, porco, frango, linguiças, batatas, maçãs, abóboras recheadas com queijo, creme e ervilhas. Tudo isso e tapado com mais folhas e sobre elas se colocam panos umedecidos. Por fim, tudo é coberto com terra e o buraco se transforma em um verdadeiro forno de pressão.

Após horas depois debaixo da terra, com o calor das pedras quentes e todo o sabor das folhas aromáticas, o buraco é reaberto em uma cerimônia que os comensais podem acompanhar e a comida servida no restaurante. É uma comida com sabor único e realmente muito interessante. A abóbora com queijo é a minha preferida.

O curanto é servido no almoço aos domingos na Coloniza Suiza, mas durante a Festa do Curanto a cerimônia acontece mais vezes ao longo do dia. Além disso, acontece uma feira com várias atrações musicais e artísticas, além de muitas outras opções gastronômicas.

Festa Nacional de Lúpulo em El Bolsón

A Festa Nacional do Lúpulo acontece durante três dias e é a celebração mais importante em El Bolsón. Acontece no final de fevereiro, justamente quando se dá a colheita do lúpulo, ingrediente fundamental para a fabricação da cerveja.

A festa tem entrada livre e gratuita. Conta com diversos shows de artistas de toda a Argentina, eleição da Rainha do Lúpulo do ano, atividades, feira com muita cerveja artesanal e comidas típicas, incluindo a parrilla.

Festa das Frutas Finas em El Hoyo

Muito perto de Bariloche, El Hoyo é a Capital Nacional das Frutas Finas. Graças ao seu clima e proteção natural dos ventos, a cidade produz as melhores framboesas, morangos, amoras, mirtilos entre outros frutos do bosque.

Aí se celebra todo ano, em janeiro, durante 3 dias, a Festa Nacional da Fruta Fina. Um evento onde se pode apreciar diversas frutas finas in natura ou elaboradas, além de poder adquirir e apreciar toda produção local artesanal. Como não poderia faltar na festa, há a eleição da Rainha das Frutas Finas do ano, dança e muita música folclórica, rock, salsa, reggae etc.

Como se vestir no verão em Bariloche

No verão, você não precisa ficar muito precupado com o frio. O clima é normalmente entre agradável e ameno. Costuma esfriar à noite, então traga um casaco. Mas esqueça roupa de neve, segunda pele, essas coisas.

Sabrina curtindo um vôlei de praia em Bariloche.

Faça uma mala com roupas esportivas confortáveis e leves, algum agasalho (nada exagerado em peso), calça jeans, tênis, sandália, bota normal, bermudas, blusas de manga curta e comprida, trajes de banho. Não se esqueça de levar uma mochila para usar nos passeios, óculos escuros e protetor solar.

Planeje sua viagem a Bariloche no verão com a Destino Sul

Se você se interessou ou se já deseja planejar sua viagem a Bariloche, fale com a gente em atendimento@destinosul.com.br.

Confira todos os passeios em destinosul.com.br.

Alejandro Sainz

Autor: Alejandro Sainz

Alejandro é irmão da Sabrina e sócio-diretor do Bariloche para Brasileiros. Músico e publicitário brasileiro e argentino, nasceu em Buenos Aires, mas cresceu e vive no Rio de Janeiro. Ficou tão deslumbrado quando conheceu a Patagonia e Bariloche, que compôs uma música chamada “Patagonia” com sua banda de rock, que virou disco e videoclip realizado apenas com filmagens da região. Seu lugar preferido é a estepe patagônica. Também é louco pelas cervejas artesanais, chocolates e tudo que é “ahumado” (defumado) da região: comida, cerveja, molhos etc.

Deixe uma resposta